CRIAÇÃO DE RÁDIOS WEB,S

DJAIR NOGUEIRA 85-985009910

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

RESULTADO DA REDAÇÃO DO ENEM COMPROVA: EDUCAÇÃO NA UTI

Escrito pelo Professor Marcelo Braga,

​   Livro de redação do Prof. Marcelo Braga

Amigo leitor, aqui neste espaço, em outro momento, fez comentários sobre o tema da redação do ENEM em 2014. Na ocasião, afirmei que, certamente, teríamos o maior índice de alunos com fuga ao tema. Pois bem. Saiu o resultado do ENEM 2014 e as notas de redação. 529 mil alunos obtiveram a nota zero na Redação do ENEM. Segundo o Ministério, os motivos foram fuga ao tema. Isso comprova a falta de critério, preparação e cuidado na escolha ao tema proposto. Para completar, dos 6.193.565 candidatos, os quais prestaram o exame, apenas 250 alunos obtiveram a nota máxima de 1.000 pontos.

Esses resultados, no mínimo, são escandalosos nos dois opostos. Onde está realmente o erro? Nossos alunos são incapazes de compreender uma temática, mesmo tendo concluído o 3º ano, sem falar nos que já são formados e prestam serviço ao exame por desejar uma outra faculdade, ou nós, professores de Língua Portuguesa e Redação, não temos a devida competência para ensinarmos os nossos jovens a escreverem textos, cuja tipologia é apenas uma: dissertativo-argumentativo, ou estamos diante de um atestado de falência educacional, o qual envolve comissão organizadora, os corretores, os professores e tudo mais?

Tento imaginar e pensar como se sentem os professores de Redação das escolas brasileiras, públicas e particulares. No terceiro ano do Ensino Médio, não mais se exigem do alunado textos pertencentes às tipologias narrativa, descritiva ou injuntiva, não mais se exige texto de diversos gêneros como carta, manifesto, crônica, notícia, apólogo, fábula, memória, artigo de opinião e outros tantos. Nada mais há, apenas a dissertação argumentativa. Passa-se o ano tentando ensinar um aluno do Ensino Médio, em seu último ano, escrever um texto dissertativo-argumentativo em, no máximo, trinta linhas, e o resultado é este: 250 alunos com nota mil e 529 mil alunos com nota zero. Onde realmente está o erro? Acredito que o sistema adotado se encontra equivocado e deve com urgência ser repensado. Os critérios não se apresentam de forma clara, por isso as disparidades de pontuação em numa mesma redação. No final de tudo, o aluno é o mais prejudicado.

O presente resultado nas redações nos certifica apenas de que a educação brasileira encontra-se na UTI.

É isso aí


Nenhum comentário: