CRIAÇÃO DE RÁDIOS WEB,S

DJAIR NOGUEIRA 85-985009910

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Lembranças de um mestre, chamado SALES

No QTC LABRE/CE que tem como presidente o companheiro e radioamador DANIEL QUEIROZ PT7-VD, publicou nesta semana essa mensagem para o BRASIL e o MUNDO aos RADIOAMADORES. Mensagem que foi escrita na época pelo próprio Sales.


                  PT7-RU SALES CARVALHO e PX7-B-0168

O tempo não para! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo.

Neste dia 29 de janeiro passado, estaria aniversariando nosso querido Sales PT7KP. Sales, Beto-PT7YV e eu, convivemos diariamente por mais de duas décadas, seja na direção da LABRE.CE ou da Casa do Radioamador, onde sempre um de nós revezávamos a presidente dessas entidades, e com quem aprendi a difícil tarefa de administrar um órgão sem recursos. Pai e Avó coruja, marido exemplar, extremamente dedicado e orgulhoso da família, sempre com alguma historia para contar de seus filhos e/ou netos, de Dona Dedé ou de sua cara metade Dona Juracy, por quem nutria um amor fora de serie nos mais de 50 anos de convivência.


O tempo passa, o tempo voa, já fazem oito anos da morte do grande tocador de piano da LABRE.CE. Relendo antigos QTC's, encontrei esse editorial de sua autoria, que quero repassar para vocês.

Meu radio abraço, Daniel PT7VD.

 

NÃO ADIANTA NEM FUGIR NEM FINGIR – Entretanto dá no que pensar. Como todos nós, minha infância foi a de um menino levado, travesso, e cheio de ardilices. Antes dos anos quarenta, frequentei a escola primária particular da dona Biluca, magra, alta, feia, com uma vareta de apontar a lousa numa das mãos e os olhos e ouvidos atentos, mais que isso a palmatória ao alcance da mão esquerda para punir os pecadilhos do mau aprendizado da tabuada... Tempo bom que ensina a gente a escapar do castigo, batendo leve nas menininhas e descarregando nossa maldade nos garotos caretas. Depois veio a Escola Primaria, curricular, do ensino fundamental, do primeiro ao quinto ano. Completados os segundo e terceiro anos escolares, alfabetizado, amava os livros e aí começavam minhas primeiras aventuras no aprendizado das humanidades e da língua francesa. A professorinha, d. Célia, filha da dona Canduzinha, vim a saber, nos anos cinqüenta, estava casada com o Antonio Albuquerque, da Aba-film. Sua imagem ainda hoje é o da mocinha que me escolheu seu ajudante e professor auxiliar...


O tempo passa, vem a conclusão do Curso Primário e a busca de escola do ensino médio em Fortaleza. Antes de deixar o Aracati, vi meu primeiro eclipse do sol, às 9 horas da manhã. O dia vira noite, mas coisa rápida. Era um dia de visita do Interventor Menezes Pimentel e do Arcebispo D. Manuel da Silva Gomes, o "Bolo Fofo", da dona Castorina Pinto.

Banhado, de roupa limpa, pedi audiência ao Prefeito Mario Lima, baixinho e de linho branco S-120 ou York Street. Queria uma explicação sobre o que significava a palavra censo (com c), porque meu dicionário só falava de senso (com s). Saí bem informado sem atinar o que isso viria a significar no meu futuro...


Aqui, Fortaleza me acolheu na Fênix Caixeiral, com professores inesquecíveis como Luis Mendes, Euclides César, alem de colegas e amigos com os quais crescemos juntos (Gener, Gerardo Barbosa). Havia colegas de preferência por quem voltavam as atenções, ajudas, e proteção. Minha escolha estava ali, na carteira em frente, e atendia na chamada pelo número 11 ! Depois, colégio D. Luiz na Praça do Carmo (Prof. Aloísio Ferreira), Liceu do Ceará (professores João José Cavalcante, Padre Quinderé, Martinz (com z) de Aguiar, Deoclécio, e tantos outros).

Em 1946, depois de uns dois anos na Manufatura Araken, veio o IBGE, cursos de noções de estatística, treinamento, estava eu guindado à equipe de sustentação do recenseamento Geral do Brasil, responsável pela divisão do Ceará em setores censitários, inicialmente destinados ao Censo Demográfico. Foi o ponta-pé inicial para alcançar todas as posições destacadas na condução de pesquisas amostrais. Especialização na PUC, Rio de Janeiro, e no ISPC em Washington.

No IBGE tive excelentes chefes. Fiquei de abril de 1946 a 1986, 40 anos realizando todas as pesquisas gerais e especiais da instituição, além da direção do primeiro Censo Escolar do Ceará, a pedido do prof. Eduardo Nogueira Ramos que, estatístico como eu, estava a serviço do Governo do Ceará, cedido para realização dessa tarefa. O IBGE assim me reconhece em seu "site" na janela "memória institucional", entre vinte e três outros servidores que ajudaram a instituição a se projetar.

Como px radioamador, meus primeiros passos foram dados em 1980. Sempre estive próximo da LABRE, mas com o Marinho, PT7NR, tive a honra de com ele trabalhar e reunir interesse na formação de novos radioamadores. Nem como presidente da CRACE, nem como diretor da LABRE, consegui sucesso positivo. Faltaram-me habilidade e até coragem de prosseguir. Mas, meus sucessores não me recusaram participação. Roberto e Daniel que eram amigos continuam amigos a quem agradeço a atenção que busco merecer.


Entre os meus importantes introdutores no Serviço de Radioamador destaco o prof. Quixadá de quem ouvi os primeiros sinais de código morse. Pensei até em dedicar-me à modalidade. Não fiz. Mesmo assim não abandonei a pretensão de um dia, quem sabe, surpreender o Wagner, o Tino e o Quixadá.


Hoje(na época), aos 79 anos, acho-me feliz! Por isso, digo, obrigado a todos pelas nunca negadas manifestações de carinho.

Um abraço do editor destas mal traçadas linhas. Sales–PT7KP

Sales vai ser sempre lembrado por todos os amigos blogueiros como os radioamadores Jeronimo e Jones Cavalcante, confira nestes links.


http://fortalezadeluz.blogspot.com.br/2011/10/francisco-sales-carvalho.html

 http://jonescavalcante.blogspot.com.br/2011/10/rodada-dos-apressados-o-qap-do-sales.html

Nenhum comentário: