CRIAÇÃO DE RÁDIOS WEB,S

DJAIR NOGUEIRA 85-985009910

domingo, 31 de março de 2013

PÁSCOA DE JESUS E A PÁSCOA DOS OVOS DE PÁSCOA

CELEBRANDO A VERDADEIRA PÁSCOA

Por definição a Páscoa é uma Festa judaica e uma festa cristã, onde o povo Judeu celebra a sua libertação do Egito por intermédio de Moisés, e o povo Cristão celebra a morte e ressurreição de Cristo Jesus, razão pela qual nos dias de hoje nós temos fé!

Vamos compartilhar a palavra de Deus através do livro de Êxodo 12:21-27 onde lemos: "Chamou pois Moisés a todos os anciãos de Israel, e disse-lhes: Escolhei e tomai vós cordeiros para vossas famílias, e sacrificai a páscoa.Então tomai um molho de hissopo, e molhai-o no sangue que estiver na bacia, e passai-o na verga da porta, e em ambas as ombreiras, do sangue que estiver na bacia; porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até à manhã. Porque o SENHOR passará para ferir aos egípcios, porém quando vir o sangue na verga da porta, e em ambas as ombreiras, o SENHOR passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas, para vos ferir. Portanto guardai isto por estatuto para vós, e para vossos filhos para sempre. E acontecerá que, quando entrardes na terra que o SENHOR vos dará, como tem dito, guardareis este culto. E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este? Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou. 

O povo Israelita estava aprisionado e escravizado pela nação mais poderosa daquela época, o Egito. Especialista em guerra, politeísta, violento e dono de um ímpeto sem comparações para aquela época, os egípcios mantinham o povo Deus em condições humilhantes. Foi nesta época que o Senhor lembrou-se de seu povo e levantou Moisés, um homem sábio, em diversas áreas: Ciências, filosofia, táticas de guerra e etc., para libertasse os Israelitas da opressão e da escravidão a que estavam submetidos. Naquela época o Faraó Ramsés, por consequência, o homem mais poderoso do mundo achou que não deveria permitir ao povo Hebreu que se retirasse, pois perderia sua mão-de-obra escrava na qual estava estabelecida a base da economia Egípcia.

Para demonstrar aos egípcios e também ao seu povo o grande poder e controle que possui sobre todas as coisas, o Senhor Deus inicia uma sequência de demonstrações de poder através de  pragas que recaiam sobre o povo egípcio mantendo protegidos os hebreus. Naquele momento não só o povo de Deus como também todos os outros povos, em especial os egípcios, estavam tomando conhecimento do poder avassalador do Deus criador dos céus e da terra. Foram ao todo 10 manifestações de poder ou pragas lançadas sobre o povo egípcio: As águas do rio Nilo que se transformaram em sangue, 2 – a praga das rãs, 3 – a praga dos piolhos, 4 – a praga das moscas, 5 – a peste dos animais, 6 – a praga das úlceras, 7 – a praga de saraivas, 8 – A nuvem de gafanhotos, 9 – as trevas.  Mesmo com todas estas demonstrações de poder o Faraó Ramsés continuou relutante em tornar livre o povo de Deus e por este motivo o Senhor anunciou a 10ª e mais avassaladora de todas as suas demonstrações de poder: Todo primogênito, filho de egípcios iria morrer, porém apenas os filhos dos egípcios, e para poder diferenciar os filhos do povo hebreu o Senhor criou uma forma de isentá-los da terrível morte que estava por vir: Todo israelita, conforme as instruções dadas a Moisés teria de sacrificar um cordeiro perfeito, separar o sangue e utilizar um feixe de hissopo para ungir as ombreiras das portas de suas casas. Desta maneira durante a passagem do anjo da morte, sempre que encontrasse uma porta marcada pelo sangue do cordeiro, ele não entraria e o primogênito não morreria. Depois disto Ramsés desistiu de manter escravo o povo de Deus e mandou-os embora para a liberdade.

Este momento histórico culmina na Páscoa Judaica, conforme podemos ler no versículo 25 - "E quando estiverem morando na terra que o Senhor vai dar a vocês, como prometeu, continuem fazendo essa comemoração. E quando seus filhos perguntarem: Que comemoração é essa? Respondam: É o sacrifício da páscoa do Senhor. Isso faz lembrar que o Senhor passou por cima das casas dos israelitas no Egito. Foi quando Ele fez destruição nas casas dos egípcios, mas não tocou nas casas do nosso povo".

Muito tempo depois, nasce o Messias, enviado por Deus para salvar o mundo, da mesma forma como Moisés havia sido enviado para libertar o povo do Egito. No livro do João 1:29 o senhor Jesus foi descrito como o "...cordeiro que tira o pecado do mundo". Perceba isto: Da mesma forma como um cordeiro simbolizou a salvação do povo hebreu no Egito, o Senhor foi apresentado como o cordeiro que salva o povo de Deus de todo o pecado e conduz a salvação. Da mesma forma como todos aqueles que acreditaram e ungiram suas casas com o sangue do cordeiro não foram atingidos, todos aqueles que acreditam no Senhor podem ser salvos. "Creia no Senhor e será salvo tu e a tua casa"! (Atos 16:31)

Hoje nós não celebramos a páscoa dos Judeus ortodoxos e sim a páscoa do Senhor Jesus. Da mesma forma como o cordeiro teve de morrer para dar liberdade ao povo hebreu no Egito, o Senhor Jesus teve de morrer para que eu e você pudéssemos ter acesso à salvação. No livro de Mateus, capítulo 26, a partir do versículo 26 é celebrada a páscoa do Senhor Jesus junto com os seus discípulos onde Ele oferece o pão, representando o seu corpo e a sua vida e o vinho, representando o seu sangue a ser derramado no calvário pelos pecados de todos os habitantes da terra. Ele morreu por nós, para termos direito à vida eterna e isto nos comissiona como herdeiros da verdadeira salvação em Cristo Jesus. Creia nisto e tome posse!

Páscoa significa 'Passagem'. Quando o Senhor enviou o anjo da morte sobre o Egito, identificou o sinal do sangue do cordeiro, passou direto por cima das casas e salvou da morte os primogênitos hebreus. Páscoa então, é a passagem de um estado de prisão, morte e destruição para a vida, vida eterna e liberdade. Não é preciso ser mais profundo para entendermos que esta chamada páscoa da atualidade onde o comércio prevalece sobre a simbologia cristã nada mais é do que folclore. A humanidade tem corrompido ao longo dos anos a essência da páscoa tornando-a um instrumento mercadológico para aumentar as vendas de empresas multinacionais que controlam o desejo da população através da publicidade, porém nós sabemos: PÁSCOA É VIDA ETERNA! PÁSCOA É LIBERDADE!

Amado irmão, a páscoa é uma festa sim, mas uma festa para celebrar o sacrifício de Cristo Jesus para que fossemos redimidos dos nossos pecados. Você precisa compreender isto e fazer o máximo de pessoas compreenderem através da ministração da palavra de Deus. Se nós estamos aqui festejando a páscoa Cristã é porque o Pai nos amou de tal maneira que entregou o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna! Numa sexta-feira, ele foi ferido, transpassado, morreu sem nenhuma honra como se fosse um ladrão, porém três dias depois ele ressuscitou, permaneceu vivo e agora ele reina pela eternidade.

Assim como Jesus ressuscitou mortos quando vivo, agora morto, o poder do Pai está sobre Ele para traga-lo da morte e devolvê-lo a vida. O Sepulcro novo de José de Arimatéia está para presenciar o maior de todos os milagres, pois nem a rocha na porta, nem a pedra fria onde jazia o seu corpo poderia impedí-lo de mostrar ao mundo que era possível vencer a morte!

Hoje você é testemunha dos dois maiores símbolos do Cristianismo, a cruz do calvário e o sepulcro vazio. Estes dois símbolos demonstram o poder imenso do nosso Deus capaz de libertar os cativos, ressuscitar os mortos e transformar vidas.

Creia, ele está vivo, vive por nós e você está comissionado no poder do Pai para representa-lo junto a todos os faraós que se levantam contra você.

Nele, por ele e para Ele.

Nenhum comentário: