CRIAÇÃO DE RÁDIOS WEB,S

DJAIR NOGUEIRA 85-985009910

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

A RWRC, na pessoa do diretor Jones Cavalcante da webradiopatacas.net e todas que integram essa rede, estamos  solidários com a família coral, pela passagem para a vida eterna do fundador do Ferroviário Atlético Clube, Sr. Valdemar Cabral Caracas 105 anos, falecido hoje em nossa capital. Valdemar Caracas que, na reinauguração do Estadio Presidente Vargas, o nosso querido PV, fez comentários a este repórter(foto) talvez em sua ultima entrevista. Valdemar Caracas por muitos anos registrou sua presença,no PV, torcendo pelo seu clube de coração.O ilustre torcedor do time mais querido do Estado do Ceará deixa saudade a torcida coral.  Veja matéria do site do Ferroviário,
                                            Jones Cavalcante e Valdemar Caracas no PV 

               Família coral de luto pelo falecimento de Valdemar Caracas
Temos a infelicidade de informar o falecimento de Valdemar Cabral Caracas, principal fundador do Ferroviário. Aos 105 anos de idade, Caracol, como também era carinhosamente chamado, estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com pneumonia generalizada.

Homem íntegro e afável, Valdemar Caracas consolidou-se como a maior personalidade do futebol cearense em todos os tempos. Funcionário público, chefe de departamento, primeiro cronista esportivo do estado, político, filho, pai, avô, bisavô, marido e desportista no melhor estilo.

Lamentando profundamente esta irreparável perda, o Ferroviário Atlético Clube decreta luto oficial de sete dias.

O velório de Caracas será na Ethernus (Rua Padre Valdevino, 1688), a partir de 17:00. A missa, seguida do sepultamento, acontecerá na terça-feira, às 10:00, no Cemitério Parque da Paz.


http://www.ferrao.com.br/noticia.asp?id=4977


Um comentário:

Raimundo Júnior disse...

Sr. Valdemar Caracas (em memória),
fundador da agremiação/instituição
Ferroviário Atlético Clube.

Deixa para a história o legado. Dedicação familiar, bom caráter, boa disposição de viver, ensinamentos exemplares de boa conduta, para os mais novos ou interessados.

Deixa involuntariamente, a sua obra-prima, no desporto local, mesmo enfrentando desagradáveis períodos, bastante normal, na trajetória de uma agremiação esportiva-futebolística, proporcionou muito mais alegria e orgulho, não o orgulho soberbo e sim, o orgulho satisfação, a todos os admiradores do “glorioso” Ferroviário Atlético Clube, carinhosamente o “Ferrim”, imponentemente o “Ferrão”, já chamado de “Super Ferrão”, onde prestou seu relevante serviço, na posição de técnico (treinador), UM VENCEDOR.

Primeiro técnico (treinador), quando nos bons tempos de Rede Ferroviária Federal S.A., saudosa desde a década de ’90, era conhecido por... “o time da RFFESA”. Uma valente locomotiva “coral” e uma composição de tantas vitórias, inesquecíveis, construindo sua grandeza em tradição. Desde 1939, ingressando no certame da primeira divisão, campanhas magistrais de estarrecer, de estremecer qualquer “desafiante”.

O time da “RFFESA”! Também conhecido.
Numa época de sonhos (ideais) e deslumbres (maravilhas), bem a quem do tempo atual, na voraz, na gritante 'apelação ridícula' de 'cartolagem' com seus ‘compinchas’ apelidados de patrocinadores (NADA CONTRA O SAUDÁVEL PATROCÍNIO), era praticada verdadeiramente, qualquer atividade de seu respectivo segmento, com dedicação, com diligência, com destreza, pouco importando o quanto se empenharia de esforços. O importante era realizar, realizar-se na simplicidade daquilo no qual se propunha.

Servidores, na maioria ou “quase totalidade” entusiastas, prestaram a individual colaboração, ou seja, 1% (um por cento), de seus vencimentos de salário mensal, para o “time da RFFESA”, dentre estes ilustres colaboradores, mesmo resguardando-se ao anonimato, COLETIVAMENTE, prestaram tão importante contribuição, pois, tratava-se de “provinda” de coração.

Lembrando, haviam servidores da renomada “repartição pública federal”, quando iniciaram as atividades “laborais”, ainda no primórdio desta(a repartição), denominada “Estrada de Ferro”, embora tendo por seu “time de coração”, Ceará, Maguari, Fortaleza, América, Guarany de Fortaleza(já extinto)... manifestaram um sentimento especial, “xodó”, pelo Ferroviário, sem deixar de torcer pelo seu clube preferido, é logico! A exemplo de meu avô-paterno e dois tios-paternos (avô e um dos tios - "em mm."). Observando evidente, os que já simpatizaram de forma direta, seu sentimento exclusivo, a esta “então” nova agremiação, novo “esquadrão” de futebol.

Enquanto nossa “existência material”...
Será sempre para todos os admiradores e desportistas, independente da agremiação preferida, a obra-prima, desenhada, trilhada, realizada, honrada do Sr. Valdemar Caracas.

"Família coral" e
desportistas/torcedores, independente da agremiação de preferência...
momento de “despedida”.
A incômoda e dolorosa separação física.
Lamentável.
Porém, no sentimento consolador...
O dever cumprido!
Embora respeitando a honrada idade "centenária" do Sr. Valdemar Caracas e a vontade de Deus Especialmente, é inegável, "gostarmos de viver mais", gostarmos que boas pessoas, “pessoas de bem vivam mais”.

À família do Sr. Valdemar (agora, "em mm."),
Solidariamente,
minha sincera condolência.

Raimundo Júnior.