CRIAÇÃO DE RÁDIOS WEB,S

DJAIR NOGUEIRA 85-985009910

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

GALINHEIRO NO ESTÁDIO CASTELÃO

 
Matéria enviado do Jornalista e radialista Vicente Alencar para este blog, leia
Foto Jones Cavalcante (Obs. a foto 2 dia 27,foi ideia minha, Alano Maia estava presente)
No verdadeiro "galinheiro" que foi destinado aos radialistas e jornalistas,  principalmente, 
aos radialistas com seus microfones, mesas de som, fones, equipamentos dos  mais diversos, registramos muita coisa ruim:
 

1 - Uma bancada que parecia um balcão de bodega,

 nos subúrbios de Fortaleza antiga. Um verdadeiro

"galinheiro". Não acreditamos que tenha sido projetado por

um engenheiro ou arquiteto.

 

2 - Apenas, uma taboa de aglomerado sobre  um  pé de

ferro, em um  aperto terrível.

 

3 - As cadeiras,  colocadas num aperto enorme, por

Absoluta falta de espaço.

 

4 - Por sorte, muita sorte, não se verificou um grande.

Problema.

 

5 - Técnicos das Emissoras de Rádio (dezenas) se

Esforçavam com outros de Companhias telefônicas.

 

6 - Fita crepe foi um material muito utilizado. Já

Pensou? Colar material elétrico com  fitas crepe!

 

7 - Improvisação foi o que mais se viu no CASTELÃO.

 

8 - Cada um  dos radialistas, técnico, locutor, auxiliar

ou qualquer profissional, sofrendo para trabalhar.

 

9 - A falta de atenção para conosco era grande. Ninguém

Sabia informar absolutamente nada as nossas indagações.

 

10 - Cada radialista era uma GARRINCHA improvisando o

seu espaço.

 

11 - Lamentável sobre todos os aspectos. Quem não

Reclama, é porque concorda com o errado. O que é triste dizer!

12 - Não existia, nas proximidades uma CANTINA sequer.

 

13 - Profissionais como César Augusto e Jones Cavalcante

levaram suas refeições de casa, pois, já sabiam por antecipação.

o que estava por acontecer, o que iria acontecer.

 

14 - O narrador Jota Egito levou um  ventilador. Creiam, um

ventilador. O calor onde os radialistas se encontravam no "galinheiro" superava os 35 graus.

 

15 - Equipamentos sobre caixotes, num estranho jogo de

equilíbrio. Mas, já que nos deram um "galinheiro" nós tinhamos

que cantar de Galo. É aquela velha história: se você ganha um LIMÃO  faça uma limonada.

 

16 - Tudo isso para levar a informação aos ouvintes do

o mundo, pois, a grande maioria das Emissoras estava na

Internet.

 

17 - E, agora, prestem bem atenção para o pior:

*  Se diante de tudo o que foi visto e registrado por

fotografias, inclusive, de colegas de PERNAMBUCO e da

BAHIA, houvesse um curto-circuito poderia se repetir a

tragédia de SANTA MARIA, pois, escutem e escrevam,

prestem atenção: não havia nenhum EXTINTOR nas

imediações da BANCADA. As fotos registram.

 

18 - E, tem mais:

 

O repórter de campo não pôde fazer seu

trabalho,  na borda do gramado, pois, a poderosa FIFA,

embora o evento de ontem fosse da CBF, não  permite

a entrada de repórteres de rádio em campo.

 

       Os  SEGURANÇAS se aproximavam dos repórteres, empurrando a todos eles, não permitindo que ficassem junto

aos possíveis entrevistados.

 

        Detalhe importante: não apareceu nenhum assessor de

Imprensa da Empresa que arrendou o Estádio Governador

Plácido Castelo, o Castelão, para levar uma palavra de apoio

aos colegas agredidos.

 

 

Continue lendo:

 

    Esses chamados protetores ou SEGURANÇAS fazem a

segurança, ninguém sabe de quem,  mas, a nossa INSEGURANÇA.

 

A INSEGURANÇA dos radialistas e jornalistas, repórteres fotográficos e outros profissionais de IMPRENSA.

 

       Um lembrete: "Jornalista e Radialista trabalha com notícias,

com fatos, com notícias, PICARETA trabalha com fofoca e má

informação".

 

COLUNA DO VICENTE ALENCAR

  323 - 28 DE JANEIRO DE 2013.

2ª FEIRA. FORTALEZA - CEARÁ - BRASIL

 

Nenhum comentário: