CRIAÇÃO DE RÁDIOS WEB,S

DJAIR NOGUEIRA 85-985009910

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Mais de 30 milhões de casas só têm telefone celular, afirma pesquisa

Em 10 anos, o percentual de casas que tinham apenas celulares passou de 7,8% para 49,8%. Enquanto isso, os lares somente com aparelho fixo fizeram o caminho inverso: despencaram de 27,9% para 3,5%.

Números divulgados pelo IBGE mostram uma mudança nos hábitos do brasileiro: mais de 30 milhões das casas só têm telefone celular, e caiu pela metade o número de famílias com telefone fixo. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

No século XIX, o aparelho foi considerado uma grande inovação tecnológica. No século XX, virou sonho de consumo de muitas famílias, e ter uma linha chegou a ser uma forma de investimento. Mas hoje é cada vez maior o número de famílias que abrem mão dele.

"O que a gente observa é que as famílias que já tinham telefone fixo, se não há algum problema de corte de custos dentro do domicílio, ela mantém aquele telefone fixo. Para quem está constituindo lares novos, as pessoas estão se mudando jovens ou então tão recém-casados, a princípio também não tem porque logo comprar um telefone fixo. Cada um leva o seu celular", explica Maria Lucia Vieira, gerente do PNAD.

Na casa da assistente administrativa Cintia Belen não sobrou um telefone fixo sequer para contar história. São os celulares que imperam: "Em um dos chips eu falo com a minha mãe, que é de uma operadora, têm bônus e a gente acaba falando na proporção dos bônus dela. Na outra operadora falo com meus amigos, meu namorado, que é bom para falar com outros estados".

O que vemos na casa da Cíntia é mais comum do que se imagina: acontece em mais de 30 milhões dos lares brasileiros, quase metade das residências do país.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, divulgada pelo IBGE, revela como foi essa evolução. Em 10 anos, o percentual de casas que tinham apenas celulares passou de 7,8% para 49,8%. Enquanto isso, os lares somente com aparelho fixo fizeram o caminho inverso: despencaram de 27,9% para 3,5%.

"É um bem relativamente novo, que vem ficando cada vez mais barato. Você pode comprar celulares de todo preço, então hoje as pessoas compram celular com muito mais facilidade", afirma a gerente do PNAD.

"O controle é muito maior. Você sabe quanto tem para gastar e gasta somente aquilo", afirma Cintia.

FONTE: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2012/09/mais-de-30-milhoes-de-casas-so-tem-telefone-celular-afirma-pesquisa.html

Nenhum comentário: